on
Criado em 22 Maio, 2017

Avaliação do Usuário

PLG_VOTE_STAR_INACTIVEPLG_VOTE_STAR_INACTIVEPLG_VOTE_STAR_INACTIVEPLG_VOTE_STAR_INACTIVEPLG_VOTE_STAR_INACTIVE
Paste a VALID AdSense code in Ads Elite Plugin options before activating it.

 

Saiba tudo o que você, mulher madura solteira, pode ou não fazer em caso de um novo casamento

                Esqueçam o título. Acho que já nos conhecemos o bastante para você duvidar que eu comungo do senso comum que diz que a mulher madura, ao encontrar um novo amor, deve seguir determinado protocolo que sugere que, para a mulher madura, um novo – ou o primeiro – casamento é um tema que exige muita cautela, pelo simples fato da noiva estar na idade madura? Não mesmo! Aproveitando que estamos no Mês das Noivas, é sempre bom batermos na tecla de desconstrução de alguns conceitos que ainda prevalecem quando o assunto é o casamento de uma mulher depois dos 40.

                O VESTIDO – Se você procurar pelas tags vestido + casamento + mulher madura no Google, vai, assim como eu, ficar horrorizada com a quantidade de recomendações que nos levam à ideia de recato e descrição por parte da noite, que mostrem menos e que não sejam “extravagantes”. É lógico que cada mulher tem seu próprio estilo e algumas vão preferir um vestido com essas características, o que não altera o fato de que outras podem optar por uma linha mais tradicional de casamentos, ou seja, o vestidão com tudo o que tem direito!

                O MARIDO – Recentemente, falei sobre a repercussão sem sentido que o casamento do novo presidente eleito da França, Emmanuel Macron (39 anos), tem com a sua companheira, a professora Brigitte Macron, de 64 anos. São 25 anos de diferença entre os dois, dado ressaltado à exaustão pela imprensa brasileira e internacional, mas que parece um mero detalhe quando o casal fala da sua relação sólida, sobre a convivência saudável e a cumplicidade e amor que compartilha diariamente. Muitas mulheres maduras deixam de oficializar um relacionamento com um homem mais novo com medo desse tipo de julgamento, ainda que seja o seu primeiro casamento. Abrem mão de um sonho para evitar desgastes oriundos de uma visão preconceituosa ainda vigente na sociedade. Querem que nos casemos com homens com a idade equiparável ou mais velhos, bem sucedidos, com carro, casa própria e uma carreira bem estabelecida. Não existe perfil ideal de marido para a mulher madura. O único pré-requisito necessário é o amor e o respeito pela relação e pela história vivenciada pelo casal antes disso, o que inclui filhos, família, amigos e a vida profissional do casal.

                A LIBERDADE – Quando se fala em relacionamentos homoafetivos, pouca gente relaciona à afetividade da mulher madura. Isso porque, culturalmente, porque a afetividade é geralmente ligada à mulher jovem, em descoberta do amor e dos seus desejos íntimos. A mulher madura foi pintada e abordada pela literatura e outros produtos culturais como a mulher que não deve despertar para outras possibilidades de amor. Por isso que é tão importante personalidades como Daniela Mercury reafirmar, até perante a ONU, que a afetividade da mulher madura é diversa como qualquer outra, e tudo depende de amor e da realização pessoal. E, nesse caso, o amor deve ser celebrado com todas as cerimônias e festas que ele tem direito.

                A FESTA – Tem gente que adora uma festa. Eu mesma tenho amigas e conhecidas que adoram celebrar aniversário, batizado, nascimento e etc., com festas, mas que, quando perguntadas se fariam uma festa de casamento, hesitam com um sonoro “não sei se faria festa, casando nessa idade, não é?” A pergunta é: por que não? Se há vontade e condições para celebrar um momento como este, independente da idade, devemos fazê-lo, ainda que o casamento seja o início, a continuidade ou até o recomeço da vida amorosa. Em todos os contextos, o amor é celebrado.

 

                Aproveite o mês das noivas para refletir sobre essas questões. A vida afetiva é um tema deveras sensível para a mulher madura, muitas vezes difícil de tratar até mesmo com as mais íntimas das nossas amigas, mas precisamos reassumir uma postura de liberdade nessa questão. O amor é o que nos move e não existe nenhum manual para ser feliz na idade madura. 

on
Criado em 15 Maio, 2017

Avaliação do Usuário

PLG_VOTE_STAR_INACTIVEPLG_VOTE_STAR_INACTIVEPLG_VOTE_STAR_INACTIVEPLG_VOTE_STAR_INACTIVEPLG_VOTE_STAR_INACTIVE
Paste a VALID AdSense code in Ads Elite Plugin options before activating it.

Tecnologia e medicina oferecem novos suportes e tendências para as mães de primeira viagem depois os 40

            Quem se planeja ou foca, durante muitos anos, em sua estabilidade profissional, financeira e pessoal, muitas vezes, deixa em segundo plano aquele que é o sonho e muitas vezes a prioridade de muitas mulheres: a gravidez. E, via de regra, quanto mais a idade avança, mais se torna complicado para o corpo da mulher madura suportar uma gravidez, não apenas do ponto de vista da fertilidade, mas da própria fisiologia, metabolismo e estatura corporal. Infelizmente, o despertar para a maternidade e os contextos que a tornam viável nem sempre acompanham o tempo hábil para uma gravidez saudável e tranquila para muitas mulheres. Mas, será que a mulher madura não pode contar com alternativas para viabilizar a maternidade depois dos 40? O Mulher Depois dos 40 foi atrás de informações e as notícias são muito positivas!

             Do ponto de vista da ovulação, cujas taxas caem a partir dos 35 anos, a fertilização in vitro tem se mostrado uma alternativa eficaz para a mulher madura. A qualidade do óvulo será determinante para a boa formação do feto e até mesmo a continuidade de gravidez, uma vez que abortos espontâneos e desenvolvimento de bebês com alterações cromossômicas são comuns nessa fase da vida. Feito em laboratório, o processo inicial da formação embrionária é observado em todos os detalhes por profissionais que se certificarão que o óvulo fecundado terá grande chance de gerar um bebê saudável, do ponto de vista genético, uma vez que a idade avançada da mãe, em métodos tradicionais, pode contribuir para alterações como a Síndrome de Down, entre outras.

            Preparar o corpo para a maior de todas odisseias hormonais vivida por um ser humano não é fácil, e nem toda mulher tem esse privilégio. Visto pelas mais jovens como um plus, a harmonização hormonal é item de primeira necessidade quando se fala em gravidez na idade madura. A boa notícia é que há técnicas que têm se mostrado eficazes neste sentido e que não são invasivas ou estressantes, como a acupuntura japonesa, que pode ser utilizada como tratamento para liberar o fluido energético e, a partir de uma anamnese detalhada, agir diretamente na preparação física e mental da futura mamãe.

            Uma alternativa que não é tão recente assim, mas está super em alta, inclusive dentro dos próprios núcleos familiares é a famosa barriga de aluguel, que ocorre quando a mulher e o seu parceiro – ou doador – gera o embrião por meio da fertilização in vitro e o transfere para o útero de uma outra mulher, mais jovem e bem disposta, na condição de voluntária ou não, para gerá-lo. O curioso é que, antigamente, os acordos de barriga de aluguel eram feitos entre pessoas desconhecidas, de modo a não causar nenhum tipo de apego ao bebê, mas hoje se multiplicam histórias em que sobrinhas, primas e mulheres de uma mesma família se dispõem a realizar o sonho da maternidade uma da outra, o que nos mostra que a vida sempre encontra um jeito de acontecer.

            A mulher madura deve estar atenta a respeito do seu próprio corpo e condições de saúde, antes de realizar qualquer método de fertilização, fazendo exames que contemplem a sorologia do sangue, índices glicêmicos, colesterol, hipertensão, níveis hormonais, diabetes, problemas cardíacos e até mesmo a ocorrência de varizes internas, para saber suas limitações e possibilidades reais de engravidar com sucesso e completar o processo com saúde e qualidade de vida – afinal, o filho precisará da mãe ao nascer, não é?

            E, para encerrar, embora não seja menos importante do que qualquer outro método listado aqui, está a adoção. Atualmente, o abandono de menores é um problema social grave no Brasil e o ato de retirar um ser humano cheio de potencialidades e virtudes de dentro de ambientes duvidosos para o seu futuro, como lares provisórios, orfanatos e etc., oferecendo-lhe uma família e muito amor é também uma forma de ser mãe. Na verdade, uma das mais belas! Pense direitinho, pesquise, vá ao médico e faça tudo com calma. Maternidade é amor, mas também muito planejamento e cuidado. E o sucesso dessa empreitada depende, em boa parte, de você.

 

            Feliz Dia das Mães! De todas as mães!


on
Criado em 09 Maio, 2017

Avaliação do Usuário

PLG_VOTE_STAR_ACTIVEPLG_VOTE_STAR_ACTIVEPLG_VOTE_STAR_ACTIVEPLG_VOTE_STAR_ACTIVEPLG_VOTE_STAR_ACTIVE
Paste a VALID AdSense code in Ads Elite Plugin options before activating it.

Pelas lentes e sensibilidade artística do fotógrafo Igor Salles, primeiros olhares dos meus 50 anos me enchem de vida

                Já não é novidade para quem me conhece e me lê aqui no blog, que um dos meus hobbies é fazer ensaios fotográficos. Inclusive, já falei dos benefícios de se conhecer através das lentes de uma câmera e pelo olhar profissional de um fotógrafo. Especialmente na maturidade, uma fase que comumente é relacionada ao resguardo para as mulheres, expor-se de diferentes formas através de uma arte tão conceitual é uma maneira de se amar mais, abraçar a sua idade e descobrir novas possibilidades de estilo e comportamento através da arte. No meu 1º ensaio após completar 50 anos, escolhi o histórico Convento do Carmo, em Salvador, onde há uma das mais charmosas sedes do Hotel Pestana. O profissional por trás dos cliques é o Igor Salles e a maquiagem é assinada por Dalmo Cavalcante.

 

SAGRADA

O espaço me fez explorar um pouco a natureza sagrada que todas nós, mulheres, temos. Crenças e culturas no mundo inteiro acreditam que a mulher é a chave para muitos dos mistérios no mundo e a resposta para os anseios da humanidade. Emblemáticas, as figuras das santas e pecadoras em textos bíblicos ou literários despertam a curiosidade e até mesmo estudo das mais variadas vertentes. Da servil e bondosa Virgem Maria à impetuosa deusa indiana Kali, o poder foi representado é constantemente representado por uma figura feminina.

ALTIVA

                Ao passo que amadurecemos, temos dois caminhos: ou saímos de cena, acolhendo a imagem de que nosso tempo já passou, aproveitamos a ideia de maturidade como experiência e usamos isso ao nosso favor.  A altivez da maturidade me impulsionou a escrever e a querer estar cada vez mais em cena. Aos 50, reassumo esse compromisso, ciente de que posso ainda contribuir com ideias, diálogos, ações e articulação com muitas outras mulheres cientes de seu lugar e seu poder de transformação, sem nunca perder o status de aprendiz, uma vez que a maturidade não é um ponto, mas um estágio de evolução.

FOCADA

                Dedicar-me a uma atividade profissional, para mim, envolve não só estratégia de mercado, espírito empreendedor conhecimentos administrativos. Hoje, gerenciando o meu Spa Urbano, elevo o trabalho a um nível filosófico. Fazer com que pessoas conheçam um estilo de vida que minimize os efeitos do estresse e privilegie o cuidado com o corpo e a mente, para mim, se transformou numa filosofia de vida que compartilho diariamente com meus colaboradores e clientes, e com vocês, aqui no blog, ao contar minhas experiências e contatos diários com o bem-estar. Por isso que fiz questão de, ao bancar a executiva, sorrir. A mulher de negócios é sempre representada com aquele carão e olhar fechados, mirando no lucro, no sucesso financeiro e na superação de seus concorrentes. Na literatura e nos filmes, estamos cheias desses arquétipos. A Iris de negócios sabe que lida com dinheiro e lucro, sim, mas lida com vida e saúde, então, a expressão aqui é outra. O foco também!

DAS ÁGUAS

Claro que não podiam faltar alguns cliques na piscina do hotel, não é? Filha de Yemanjá não pode ver água que quer entrar. O contato com a água me transforma, me fortalece. E a energia deste elemento tão especial pra mim que eu quero levar a partir dessa nova idade. Mais uma vez, deixo aqui a dica para você que é tímida, que ainda não se reconhece dentro da maturidade e ainda não se apropriou deste lugar de fala: dê uma chance para as câmeras! É terapêutico e empoderador. Experimente novos looks, faça parte de uma bela paisagem e realize o seu ensaio, aos 40, 50, 60... Mesmo que você, depois, não queira mostrar a ninguém e guarde só pra você – coisa que eu acho pouco provável, pois os resultados sempre são muito bons e inspiradores. Não se esquece de visitar o nosso Instagram (@mulherdepoisdos40) e contar como foi a experiência, tá?

CONFIRA O ENSAIO COMPLETO!

IMAGENS: Igor Salles Fotografia

 

MAQUIAGEM: Dalmo Cavalcante

on
Criado em 02 Maio, 2017

Avaliação do Usuário

PLG_VOTE_STAR_INACTIVEPLG_VOTE_STAR_INACTIVEPLG_VOTE_STAR_INACTIVEPLG_VOTE_STAR_INACTIVEPLG_VOTE_STAR_INACTIVE
Paste a VALID AdSense code in Ads Elite Plugin options before activating it.

 

Competições de SUP também são verdadeiros desfiles de estilos e conceitos para a mulherada. Mas qual é o look perfeito para a ocasião?

                Não adianta negar: toda mulher que se cuida quer ficar bonita para qualquer situação, inclusive aquelas que mais vão demandar desgaste físico, concentração e foco. Beleza é fundamental na lógica feminina. E quando a beleza vem acompanhada de proteção, isso fica melhor ainda. Muitas seguidoras têm me perguntado qual o meu critério para a escolha dos looks que uso nas competições profissionais de SUP. A resposta é simples: proteção e bom gosto!

                Apesar de ser filha das águas e abençoada por Yemanjá, a minha pele precisa ficar protegida da radiação solar, afinal, são horas sobre a prancha, geralmente sob um sol escaldante. Pois é, as atletas de SUP não apenas devem ter cuidado com as ondas ou pedras, mas também com a radiação UV, que causa as terríveis manchas, acelera o aparecimento dos sinais de expressão, colabora com o envelhecimento precoce e, o pior de tudo, causa câncer de pele. É necessário que a sua roupa seja também a sua armadura contra os raios solares, por isso, utilizo uma linha de roupas que me proporciona proteção FPU 50+ e bloqueia 98% dos raios UVA e UVB. Parece milagre, mas é a tecnologia que a marca UV.LINE tem proporcionado a atletas e competidores de todo o Brasil.

                E como a UV.LINE é uma empresa antenada não apenas às novas tecnologias de proteção aos raios solares, mas também está alinhada com as novas tendências do mundo fashion no esporte, as estampas e os modelos são de arrasar! São roupas que se ajustam ao corpo da atleta de uma forma harmônica e confortável, privilegiando as nossas curvas e musculatura, sem gerar nenhum tipo de atrito durante os movimentos nas provas e competições, o que me faz competir tranquila, sem incômodos e com a sensação de leveza e proteção que preciso para focar nos meus resultados, no pódio e, claro, nos cliques, afinal, com os looks da UV.LINE, subir na prancha é a mesma coisa que subir na passarela – e vocês já perceberam que adoro tirar fotos competindo com meus looks, né?

                Então, fica a dica para quem quiser começar a dar as primeiras remadas ou até mesmo investir nos campeonatos amadores ou profissionais: proteção com estilo, cabeça erguida e foco! Não se esquece de compartilhar suas fotos e seus looks com a gente aqui, e no nosso Instagram (@mulherdepoisdos4o)